16 de junho de 2017

Viajar com crianças. Paris. Dia 1.

O dia começou cedo, 05 horas da manhã e já estávamos a caminho do aeroporto. Eles despertaram quando os vestimos antes de sairmos de casa e até levantarmos voo não dormiram. 


Estavam bem dispostos e numa excitação que só visto. Depois da descolagem e de conseguirem acalmar dormiram parte do voo, e também durante a hora de viagem que demorou o trajeto entre o aeroporto e o centro de Paris, onde ficamos alojados. 



Optamos ficar num apartamento, bem no centro. Foi a melhor opção que fizemos, isso e comprarmos bilhetes de metro para 5 dias para os 3 (o Dinis ainda não paga. Para adulto fica cerca de 40€ e criança 20€). Ficamos num sitio giro, movimentado q.b. com bares, restaurantes e comércio. Saíamos para jantar a pé, tínhamos uma mercearia ao lado para os bens essenciais e para os lanches dos miúdos. E depois tínhamos o metro a 1 min. Não conhecíamos bem esta zona e acertamos em cheio na localização. 




Bem, mas depois de chegarmos e de deixarmos as malas no apartamento saímos a pé para conhecer a zona e almoçar. E de barrigas já cheias, começamos a exploração de Paris. Fomos ver o rio Sena e passeamos na famosa Ponte das Artes. Adoro esta zona, o rio, o Louvre mesmo ao lado, os barcos, os livros, o sol, os cadeados que ainda restam nesta conhecida “ponte do amor”... É Paris em todo o seu esplendor. 




Aqui, e uma vez que esta é uma ponte pedonal os miúdos correram, brincaram, admiraram-se com tantos barcos. E sorriram muito. Ah e o mas novo caiu e trouxe deste primeiro dia dois joelhos bastante machucados. Também faz parte não é? C’est la vie. 





Depois seguimos a pé até ao Louvre. Estava muito calor e os miúdos juntaram-se à imensidão de turistas e refrescaram os pés num dos lagos que existe junto à famosa pirâmide. 




Confesso que a única coisa que me stressa nisto de viajar com miúdos tão pequenos é que eles precisam de correr e eu deixo que o façam (pelo menos tento fazer o melhor que consigo) mas correr no meio de uma multidão de turistas é coisinha para me stressar. Porque um corre para a esquerda, outro para a direita e em menos de 2 segundos deixamos de os ver. Acabei, aliás acabamos (eu e o pai) por chamá-los mais vezes à atenção do que gostaríamos. E isso custou-me em algumas ocasiões. Mas conseguimos dar-lhes muito mais liberdade do que lhes demos em Madrid (nessa viagem levamos o carrinho de passeio e andaram sempre mais controlados, mas também eram mais pequenos e não tinham tanto esta necessidade de parecerem super heróis voadores).


O que é que eu não previ? Que o facto de não andarem no carrinho e andarem livres, iriam obviamente andar a limpar o chão de Paris, e andaram claro. Não lhes faltou canto nem recanto nenhum. E as duas mudas de roupa que levei por dia para cada um foram mais do que precisas (para a próxima levo 3! estive quase a entrar numa HM e comprar mais umas peças!). 

Loja bem catita no interior do Museu do Louvre







Escusado será dizer que chegaram ao final deste dia bem sujinhos e esgotadissimos. Mas transbordavam felicidade. E nós também.

2 comentários:

  1. Miúdos que correm livremente são miúdos felizes!!

    ResponderEliminar
  2. Mas que aventura! De certo que por mais cansativo que possa ser, viajar com eles é sempre uma experiência única e enriquecedora. :)
    Paris faz parte das cidades que quero conhecer... Vamos ver se se proporciona.
    ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Três Quartos de Tudo © 2014-2016